quarta-feira, 18 de julho de 2018

KÜRZESTE CHRONIK: BERGGASSE



Perdidas na escrivaninha de Freud, as enigmáticas 20 folhas de papel almaço, contendo uma listagem de datas e anotações concisas, escritas pela inconfundível caligrafia gótica. No começo da primeira página, o título sublinhado: "A Mais Curta Crônica".
Encontradas um mês antes da abertura do Museu Freud, em Londres (junho de 1986), coube a Michael Molnar decifrá-las, preenchendo suas lacunas, em árduo trabalho de pesquisa, que conteve uma busca minuciosa na casa 20 da Maresfield Gardens - última residência de Freud -, bem como uma série de entrevistas informais.
O "diário", que se inicia em 1929 e vai até 1939, é de uma contribuição inestimável, pois revela o "verdadeiro Freud", o homem do cotidiano em seu ambiente doméstico.

Datada de 26 de setembro de 1931 encontra-se a anotação: "Em Berggasse".

1. Esta anotação, registrada com um traço vermelho na margem esquerda, marca o final das férias de verão de Freud. Uma mudança ambígua: de um alojamento espaçoso em Pötzleinsdorf para o apartamento relativamente pequeno na cidade.

2. A casa de campo em Pötzleinsdorf proporcionara a Freud um bonito e agradável ambiente no verão. Os cachorros de estimação aproveitaram a temporada e a liberdade do jardim - "Não consigo mais imaginar o verão sem estes animais". Segundo Freud, Jofi suportou encantadoramente a maioria das visitas humanas - Freud já não suportava tão bem assim...

3. Em meio às tentativas de Kazanjian sobre a prótese, Freud conseguiu trabalhar: voltou a escrever, e atendeu quatro pacientes (Dorothy Burlingham, Marie Bonaparte, Irma Putnam, e Jeanne Lampl-de Groot). O trabalho para Freud era confortador e eficaz contra as várias decepções em relação à prótese no maxilar: "Parece que nada mais pode ser feito por mim".

4. O retorno para Berggasse quase coincidiu com a data em que completaria 40 anos da mudança para o famoso endereço em Viena. Freud oficialmente registrou-se como residente na Berggasse 19 em 23 de setembro de 1891. Em 12 de setembro de 1891, escrevia para sua cunhada: "Estamos agora vivendo na IX Berggasse 19, depois de muitos problemas".

5. Atualmente um museu dedicado ao mestre vienense, o endereço na Berggasse 19 marcou a Psicanálise, bem como o próprio Freud, de forma inestimável. Um lar onde Freud sentia-se confortável...

OBS.: A Kürzeste Chronik encontra-se publicada no Brasil pela Artes Médicas, em belíssimo trabalho editoral e de tradução (Francis Rita Apsan) - FREUD MUSEUM (1992) Diário de Sigmund Freud - 1929-1939: crônicas breves. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.