segunda-feira, 18 de junho de 2018

NOTÍCIAS DE LÍMBIA: MADRE



Ela é um presente de Deus. Tão boa moça, tão responsável. Cuida de mim.
Nasceu de minhas entranhas, minhas vísceras. Meu útero a aconchegou para que depois ela cuidasse de mim. Uma troca justa.
Às vezes, penso que ela sacrificou-se por mim... mas só às vezes penso. Uma troca justa.
Castrei seus desejos, moldei sua vida através de meus mimos, minhas dores, minhas doenças. Uma troca justa.
Criei-a como apêndice de mim mesma, sem deixar cortar o cordão umbilical que nos une para sempre, para sempre.
Meu útero a aconchegou para que fosse negação da dor daquilo que não fui. Castrei por ter sido castrada.
Tão boa menina que cuida de mim.

Agora ela se rebela.
Resolve seguir outro caminho que não o do meu lado para sempre.
Ingrata, pecaminosa. Eu que a gerei de minhas entranhas na dor do parto que a pariu.
Puta que pariu para ela.
Nada escolhi para mim. Era tão boa moça. Cuidaria para sempre de nós.
Agora ela resolve ir por caminho próprio.
Vou adoecer, enlouquecer quem sabe?
Vou me contorcer, fazê-la sentir-se culpada, para que ela volte a ser a boa menina que cuida de mim.

Injusto Deus que permite ela pensar em me deixar...


*DADOS CARTOGRÁFICOS: Límbia é Real sem existir em lugar algum. Faz-se justiça ao cartógrafo Fabio Herrmann que a define: “Isto é Límbia, terra da ficção verdadeira. Límbia não foi inventada. É a própria invenção.” HERRMANN, F. (2002) A Infância de Adão e Outras Ficções Freudianas. Casa do Psicólogo: São Paulo (p.34).