domingo, 18 de fevereiro de 2018

KÜRZESTE CHRONIK: O INÍCIO DE UM LONGO DECLÍNIO



Perdidas na escrivaninha de Freud, as enigmáticas 20 folhas de papel almaço, contendo uma listagem de datas e anotações concisas, escritas pela inconfundível caligrafia gótica. No começo da primeira página, o título sublinhado: "A Mais Curta Crônica".
Encontradas um mês antes da abertura do Museu Freud, em Londres (junho de 1986), coube a Michael Molnar decifrá-las, preenchendo suas lacunas, em árduo trabalho de pesquisa, que conteve uma busca minuciosa na casa 20 da Maresfield Gardens - última residência de Freud -, bem como uma série de entrevistas informais.
O "diário", que se inicia em 1929 e vai até 1939, é de uma contribuição inestimável, pois revela o "verdadeiro Freud", o homem do cotidiano em seu ambiente doméstico.

Datada de 03 de outubro de 1930, aparece a anotação "Todos os médicos em Pichler".

1. Já fazia quase um ano desde o "alarme falso", dentre os vários "alarmes falsos", que levara Freud à sua última consulta com Pichler. O Prof. Hans Pichler (1877-1950) era o especialista que cuidava do problema das inúmeras próteses no maxilar de Freud. Freud, frente a inúmeros "alarmes falsos", preparara-se e anunciara diversas vezes sua própria morte. Esta consulta ao especialista, segundo Michael Molnar, se deve à suspeita de Max Schur (1897-1969), médico particular de Freud, ao detectar um neoplasma.

2. Aqui, na data de 03 de outubro de 1930, marca-se o início de um longo e tortuoso declínio para o doente Sigmund Freud, que duraria nove anos, até sua combinada eutanásia. Pichler estaria, a partir de agora, sendo constantemente consultado e continuamente operando, até 1938.

3. Segundo Michael Molnar, além de Schur, estariam presentes nesta consulta, o dentista Weinmann, a segunda "médica pessoal" de Freud, Ruth Mack Brunswick, e o assistente de Pichler, Berg. Freud, provavelmente, deve ter detestado a quantidade de pessoas em torno dele.

4. As notas de Pichler registram os resultados desta consulta: a descoberta de uma pequena leucoplastia atrás da prótese, e uma área em torno de 1 cm, que ele suspeitava, com razão, ser uma proliferação pré-cancerosa do epitélio. A recomendação de Pichler foi de uma semana de observação e uma cirurgia.

5. De todos os médicos presentes na consulta com Pichler, nenhum estava na posição do médico/homem Sigmund Freud. Resignado já a algum tempo, mas não entregue e nem apático, Freud suportou o declínio de sua saúde até onde lhe foi possível, produzindo continuamente Psicanálise. Por ironia do Destino, solicitou a eutanásia combinada com Max Schur e Anna Freud - duas letais doses de morfina -, quando sentiu a impossibilidade de continuar a produzir...


OBS.: A Kürzeste Chronik encontra-se publicada no Brasil pela Artes Médicas, em belíssimo trabalho editoral e de tradução (Francis Rita Apsan) - FREUD MUSEUM (1992) Diário de Sigmund Freud - 1929-1939: crônicas breves. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.