terça-feira, 17 de outubro de 2017

NOTÍCIAS DE LÍMBIA: O GUARDA-SOL



Perdeu um pouco de tempo observando "O Guarda-Sol" de Francisco de Goya, pintado em 1777. Durante o tempo perdido, foi absorvido pela obra, que se encontra no Prado desde 1870. Imerso no clima galante e refinado do rococó, sentiu-se numa atmosfera marcada pelo desencanto e pela ironia. Estranho pela exposição da experiência, pôs-se a andar desencontrado, estrangeiro da própria vida. Onde normalmente agitado, um depressivo surgiu sem pedir licença. Perdeu tempo...

Um seco inverno ártico é o tempo marcado pelos ponteiros do relógio depressivo. Um tempo que se perde na brancura assustadoramente infinita, tempo letárgico que abre brecha para um pensamento em excesso. Pensa-se demais e pensa-se mais um pouco. Parte-se de nenhum lugar e chega-se a lugar algum. Território propício para o império de um Supereu que castiga com vagarosas construções idealizadas, acusações culposas, auto-estima abaixo de zero, e um poderoso ódio que, sem espaço, torna-se frustração angustiante e paralizadora.

Um úmido verão tropical é o tempo marcado pelos ponteiros do relógio maníaco. Tempo multicor que, de tanta cor, confunde a percepção. Um alucinante suor no corre-corre da vida que, por fim, acaba por não ser vivida por inteiro. Sai-se dali e corre-se para lá. Sob o controle da agenda digital que marca o tudo agora do impossível, não se "é" de forma definida para si. Formas híbridas e psicóticas de representação tentam, em vão, oferecer uma delimitação possível. No fracasso de tal sustentação, o esboço do que sou vem de fora, da grife do que não sou; ou alguma forma de embriagues freia o movimento frenético do pulsional.

"Vou ter que faltar. A agenda de meu celular se atrapalhou..."

*DADOS CARTOGRÁFICOS: Límbia é Real sem existir em lugar algum. Faz-se justiça ao cartógrafo Fabio Herrmann que a define: “Isto é Límbia, terra da ficção verdadeira. Límbia não foi inventada. É a própria invenção.” HERRMANN, F. (2002) A Infância de Adão e Outras Ficções Freudianas. Casa do Psicólogo: São Paulo (p.34).