terça-feira, 15 de setembro de 2015

NOTÍCIAS DE LÍMBIA: PRECIPITAÇÃO



Viu-se assim, de repente, em uma paralisia, em um mergulho em angústia instantânea.

Atualmente, no mundo contemporâneo, tudo é instantâneo, até os estados de angústia são instantâneos.

Viu-se assim, em insuportável desconforto, frente à possibilidade da ausência.
Ausência insuportável que acabaria com a ilusão daquilo que foi, daquilo que é, daquilo que seria.
Um desconforto na possibilidade da ausência daquele olhar, daquele toque, daquela conversa, das inúmeras fantasias transformadas em palavras escritas no pequeno diário.
Sem dar-se conta da importância de manter um pequeno diário, a paralisia fez-se olhar vazio, mensagens vazias, fotos vazias, lembranças vazias.
No insuportável da possibilidade da ausência, num repente de angústia, tocou, precipitadamente, o dedo no botão, deletando toda a informação da experiência vivida, apagando os ecos e os restos do que poderia ter sido...
No momento seguinte, arrependeu-se da precipitação - uma fuga sem luta...

A ausência, ou a suportabilidade da ausência, é fundante do estado humano, da maturidade, da capacidade de estar sozinho, consigo mesmo - uma batalha para sempre.

*DADOS CARTOGRÁFICOS: Límbia é Real sem existir em lugar algum. Faz-se justiça ao cartógrafo Fabio Herrmann que a define: “Isto é Límbia, terra da ficção verdadeira. Límbia não foi inventada. É a própria invenção.” HERRMANN, F. (2002) A Infância de Adão e Outras Ficções Freudianas. Casa do Psicólogo: São Paulo (p.34).

Nenhum comentário:

Postar um comentário