domingo, 11 de setembro de 2011

NOTAS DE VIAGEM: RIBEIRÃO PRETO, LIMITES, PRAZER & REALIDADE


Estas são Anotações de minha passagem por Ribeirão Preto, de 06 a 10 de setembro de 2011, ocasião do XXIII Congresso Brasileiro de Psicanálise, que teve como tema “Limites: Prazer & Realidade”.

06/set

Chegamos ao Comfort Inn, simpático hotel perto do Centro, o que fez de sua localização a perfeição para passeios a pé – caminhadas agradáveis por uma cidade agradável.

A Velha Niger não há mais...

A Velha Pinguim, um dos patrimônios de Ribeirão Preto, não é mais a mesma.

Sinais de Limites do Tempo. De um tempo folclórico em que se contava a existência de uma tubulação que ia da Niger à Chopperia.

Não... O chopp não é mais o mesmo.


07/set
A presença de Antonino Ferro se fez notar, principalmente no mini-curso ministrado por Marta Petricciani (SBPSP), sobre o pensamento, a teoria e a clínica do notório analista italiano.

Às vezes, o Centro de Convenções tornava-se pequeno... Limites.

Os “Diálogos Psicanalíticos: 100 anos dos Dois Princípios do Funcionamento Mental”, pecou pela idéia de uma ampulheta que limitava em 6 minutos a apresentação das idéias, acarretando um diálogo um tanto quanto confuso. Limites de uma tentativa.
Claudio Castelo Filho (SBPSP) apresentou uma ótima construção em construção, no Tema Livre composto por dois trabalhos: “Interferências de valores morais e religiosos na prática psicanalítica e na formação de psicólogos, psiquiatras, terapeutas e psicanalistas”, que teve como eixo central “a revelação de sistemas morais-religiosos” encontrados no núcleo conflitante de certas situações psicoterapêuticas; e “Juntos, porém sós. A possibilidade ou a impossibilidade de encontros humanos – Problemas do mundo atual ou velhos problemas com novas vestimentas?”, onde a descrição de uma situação clínica envolvida por relacionamentos via sites pornográficos e de encontros pela internet, fez surgir “ausência de contato” ou “solidão psíquica” que sempre permearam a história da humanidade. Interessante ampliação de Limites.
À noite, acompanhados por uma grande amiga de Ribeirão Preto, fomos ao Salz Bar, lugar muito agradável, com jazz e blues, ótima caipirinha e um chopp muito bem tirado – agradecimento à Teté, por nos ciceronear.


08/set
Mauricio Marx e Silva (SPPA) conduziu uma brilhante e deliciosa aula sobre “O Duplo Limite em André Green”. Chopp muito bem tirado.

A série “Exercício Clínico” foi uma surpresa muito bem vinda. Os participantes iam tecendo suas construções clínicas sobre material exposto no ato, sem conhecimento prévio. Participação maciça da platéia. Lembrou-me os velhos exercícios propostos por Fabio Herrmann.

Maria Elisabeth Cimenti (SPPA) apresentou Lacan de forma magistral e coesa na mesa “O Real, o Imaginário e o Simbólico: relações com os Limites”. Muito bom o surgir de espaço possível para Lacan, dentro dos Limites atuais da IPA.
Conhecemos a Água Doce Cachaçaria, limite do descontraído e sem limites para a ótima cachaça da casa.


09/set
O superego na teoria e na clínica psicanalítica atual” apresentou uma legítima, bela e bem humorada participação de Bernard Miodownik (SBPRJ) e uma coesa e bem montada apresentação de César Luís de Souza Brito (SPPA). Complementação perfeita do Limite do Contemporâneo.

A balada do Cinema D ficou a desejar... Música eletrônica, sem sombra de dúvida, extrapola o Limite de meus possíveis.

10/set

Fechamento com chave de ouro...

A poesia clínica de Ana Maria S. Vannucchi (SBPSP) e a musicalidade clínica de Leda B. Spessoto (SBPSP) ultrapassou os Limites de uma bela apresentação na mesa “O limite entre o sonho do analista e a atuação”. Um ramalhete de flores ao som da Sinfonia nº 5 de Beethoven. Não dá para comentar... Foi para sentir!!!

Sem limites carnívoros na Churrascaria Coxilha dos Pampas... Por Deus... Abundância.


Limite esgotado do Tempo – despedida e lágrimas.

Limite ampliado de Prazer/Paixão.

Limite que marca o retorno à Realidade.
Missão mais do que cumprida...

São Paulo novamente.


* As Bobagens e Decepções... Bem... Optei por não tomá-las em consideração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário