quarta-feira, 30 de junho de 2010

O COTIDIANO: A MAIS BRILHANTE CRIAÇÃO TAUTOLÓGICA


As coisas são e se dão assim porque assim são as coisas. Esta é a moralizadora Rotina do Homem Cotidiano e de seu Mundo.

Santa Rotina, é bom que se diga, cria e faz com que possamos “ir vivendo” sem mergulhar em certo tipo de “questionamento paranóico” sobre “quem somos” ou “em qual dos mundos possíveis que vivemos”.

Explico melhor: o EU é uma entidade aberta para infinitas possibilidades de ser. Podermos acreditar em uma unidade coesa do EU é uma ilusão, um tipo de erro necessário do Psiquismo, que faz com que vivamos fora da corajosa aproximação do Real. Podermos acreditar que vivemos em uma realidade coesa, compartilhada, em um Mundo racional carregado de tropeços, alegrias, mazelas, destinos, crenças, acertos e erros, é obra de um sistema psíquico que cria um Mundo – frente a tantos outros possíveis – para a existência de um EU – frente a tantos outros possíveis. Vejo o que vejo porque o que vejo fabricou meu olhar.

Somos um “entre” duas lógicas distintas que coabitam o mesmo espaço – como os “universos paralelos” explorados nos Clássicos da Ficção Científica – a Lógica Produtora Inconsciente e a Lógica Racionalizadora da Consciência.

Melhor assim... Bem melhor assim... Acreditarmos nessa unidade entre EU e Mundo, Identidade e Realidade. Caso contrário, ao afrontarmos esta tão brilhante criação do Psiquismo, talvez a mais bela das tautologias, abrimos as portas do Inferno e mergulhamos no que os Homens costumam denominar de LOUCURA. Experimento e experiência fascinantes, diga-se de passagem, mas que deve se reservar para a Viagem Psicanalítica na Sala de Análise.

Nenhum comentário:

Postar um comentário